fbpx

Artigos

5 Conselhos de Tolstói para escritores (comentados)

Vilto Reis
Escrito por Vilto Reis
5 Conselhos de Tolstói para escritores (comentados)
Junte-se a mais de 20 mil assinantes

Entre para minha lista e receba conteúdos exclusivos sobre escrita criativa

Conselhos de Tolstói para escritores são constantemente procurados por aqueles que reconhecem o valor deste grande mestre da escrita.

Sua realização é inestimável para a história da literatura.

Portanto, vejamos neste texto quem ele foi e como pode contribuir para sua escrita.

Quem foi Liev Tolstói?

Um dos maiores nomes da literatura russa, talvez o maior, Lev Nikolaevitch Tolstoi — ou simplesmente Tolstói — foi um escritor que viveu de 1828 a 1910.

De família aristocrática, o Conde Tolstói produziu grandes obras que ficarão marcadas para sempre na história da literatura, como: os romances Guerra & Paz, Anna Kariênina, a novela A Morte de Ivan Ilitch e seus inúmeros contos e ensaios filosóficos.

Também foi um dos precursores da filosofia da não-violência, que viria a influenciar gente como Mahatma Gandhi (com quem se correspondeu) e Martin Luther King.

Na ocasião de sua morte, em 1910, recusou-se a morrer como um aristocrata e partiu em uma viagem de trem pela Rússia. Acabou falecendo de pneumonia em uma estação de trem de Astapovo.

Seu legado, no entanto, continua vivo até hoje, como você poderá ver nos conselhos de Tolstói para escritores listados abaixo.

5 Conselhos de Tolstói para escritores (comentados)

1) Não tenha pressa em escrever

Em 1887, respondendo a um escritor obscuro, Tolstói sugeriu: 

“O principal é não ter pressa em escrever, não ter rancor de corrigir e revisar a mesma coisa 10 ou 20 vezes, não escrever muito e não, para o seu bem, fazer da escrita um meio de sustento ou de ganhar importância aos olhos das pessoas. ”

É incrível a quantidade de escritores que conheço que publicam tudo que escrevem. Basta que um pensamento atravesse o lodaçal de suas mentes para que pensem ter encontrado um diamante que precisa ser mostrado ao mundo.

Mas qual a relevância deste pensamento para as outras pessoas? Houve reflexão? Foi revisado 10 ou 20 vezes, como sugere Tolstói? 

Nada.

Muitas das vezes, serve apenas para demonstrar a busca da pessoa por afagos ao próprio ego. Não há nenhum compromisso com a produção de um texto duradouro, muito menos em oferecer algo às pessoas.

Eis o motivo de o conselho de Tolstói ser ainda tão válido.

2) Tolstói sugere escrever só quando encontrar um conteúdo novo

“Você só deve escrever quando sentir dentro de você algum conteúdo completamente novo e importante, claro para você, mas ininteligível para os outros, e quando a necessidade de expressar esse conteúdo não lhe der paz.”

Há muitos descritores e poucos escritores. Gente que vê na palavra uma oportunidade de ser ouvido sem se importar com a necessidade de ter algo a dizer.

Este roteiro de buscar, analisar e trazer ao mundo o material interno é o que destaca os grandes escritores dos pequenos. Consciente ou inconscientemente deste processo foi deste modo que os gênios alcançaram a eternidade.

Portanto, o exame constante da escrita e uma busca pelo autoconhecimento costumam ser elementos que constituem um bom autor, conforme podemos ver nos conselhos de Tolstói para escritores.

3) Escreva como vier, depois revise e encurte

No estilo, Tolstói valorizava a clareza e, para alcançá-la, revisava incessantemente sua prosa, conforme aconselhou a um autor em 1890:

“Não poupe seu trabalho, escreva como vier, por fim, e depois revise-o e, acima de tudo, encurte-o. No ramo da escrita, o ouro só é obtido, em minha experiência, peneirando.”

É muito importante que o escritor divida a escrita em dois momentos: redação e revisão.

Após planejar a história, ele deve se dedicar à redigi-la como vem à mente, sem se censurar. Emitir julgamentos neste momento só prejudica a escrita. 

Em seguida, vem a revisão, na qual trabalha a parte mais analítica do cérebro. Aí entra a capacidade que o escritor vai adquirindo com o tempo, de avaliar o texto e enxergar as sobras que precisam ser cortadas. 

E, acredite, quanto mais cortar, melhor. Deixe só a essência da história, só o que tem valor. 

4) Os melhores pensamentos vêm pela manhã, segundo Tolstói

Veja este trecho dos diários do escritor russo:

“Escrevo sempre de manhã. Recentemente, fiquei feliz em saber que Rousseau também, depois que se levantou pela manhã, deu um pequeno passeio e sentou-se para trabalhar. De manhã, a cabeça está particularmente fresca. Os melhores pensamentos geralmente vêm pela manhã, depois de acordar, ainda na cama ou durante uma caminhada.”

Embora eu sempre recomende que as pessoas procurem o horário do dia em que são mais criativos, no fundo, acredito tal como Tolstói que este horário é pela manhã.

Mas para que funcione, é preciso que se crie um hábito, uma rotina de escrita.

Se no primeiro dia que você sentir sono, voltar para a cama, nunca irá conseguir.

A mente limpa, sem as preocupações do dia, costuma ser mais criativa. Recomendo que tente. 

5) Nas melhores histórias, não sabemos de que lado o autor está

“Descobri que uma história deixa uma impressão mais profunda quando é impossível dizer de que lado o autor está.”

Se você quer personagens profundos, pare de pensar as coisas como em termos de mocinhos e vilões

Pessoas são muito mais complexas do que isso. O pior ditador tem uma filhinha a qual trata muito bem. O ídolo que é exemplo para todos às vezes possui um cadáver no armário. Nada é tão branco ou preto, há uma série de tons e subtons neste intervalo.

Portanto, ao demonstrar um lado apenas da moralidade dos personagens, você, como autor, posiciona-se a favor de determinado lado.

Você acha que Tolstói não escolhia seus lados? Com certeza, isso é humano, mas ele escondia esta escolha muito bem.

Talvez por isso tenha escrito dois dos maiores romances de todos os tempos: Guerra & Paz e Anna Kariênina.

Conclusão

Em nossa formação como autores, é importante nos apoiarmos nesses pilares da literatura, como podemos ver nestes conselhos de Tolstói para escritores.

Por este motivo, participei da criação do curso A VIDA POR ESCRITO — 10 Autores e seus segredos narrativos, com o intuito de oferecer informação de qualidade sobre esses grandes gênios da literatura.

Neste curso, você saberá como eles viviam, suas dificuldades, dicas de escrita e ainda fará projetos práticos com base no que aprendeu.Se você deseja se aprofundar na literatura e adquirir uma forte bagagem literária, clique na imagem abaixo e saiba mais sobre o curso!

Em um fundo abstrato, vê-se uma caixa com o título "Curso online A VIDA POR ESCRITO", além do botão "Saiba mais" ao lado.

E o que você acha?

Conte nos comentários o que achou deste conteúdo :)

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 Replies to “5 Conselhos de Tolstói para escritores (comentados)”

Salete Ribeiro.

Muito bom! Realmente os grandes escritores usavam muita a filosofia, a sabedoria., bom espírito Crítico e organização. Eles se preocupavam com o leitor. Esta foi razão do sucesso.

Vilto Reis

Com certeza, Salete. O resultado são as grandes obras que deixaram para nós!
Obrigado por comentar.

Josué Roberto

Muito bons conselhos! Sou honesto, estava fazendo muita coisa ao contrário, pela metade e sem conteúdo bom.
Tenho uma grande história que depois de planejar muito estou esboçando.
Seu site está sendo uma bússola para mim, muito obrigado

Vilto Reis

Olá, Josué.
Fico feliz que o site esteja sendo útil.
Deixo o convite para que conheça também meus cursos, principalmente o CAMINHO DO ESCRITOR, onde aprofundo mais a arte de escrever um livro: https://cursos.viltoreis.com/caminho-do-escritor
Fico à disposição para o que precisar!