10 Dicas para escrever contos – De um mestre especialista!

Publicado por Vilto Reis em

Você está em seus primeiros escritos e precisa de dicas para escrever contos? Está perdido? Os contos estão ficando bons? O que está faltando?

Então você precisa conhecer estas dicas. São conselhos fundamentais de um dos maiores escritores de contos do nosso continente, Horacio Quiroga.

Espera aí, não conhece o Quiroga? Vamos te apresentar.

E ainda tratar sobre vários temas. Originalidade. Motivação na hora de escrever. Qual sua verdade? Referências. Criação de personagens. E muitos outros temas.

Continue lendo esse artigo para saber mais sobre como escrever um bom conto.

Quem foi o escritor Horacio Quiroga?

dicas para escrever contos

São pouquíssimas as fotos de Quiroga. Portanto, aí vai uma delas (e que barba!).

Muito apreciado pelos argentinos, o contista uruguaio Horacio Quiroga (1879 – 1937) é pouco conhecido no Brasil.

Seus contos abordam temas importantes. Loucura. Amor corrompido. Morte. Vícios. Sempre com a presença da natureza, que protagoniza muitos de seus relatos. O estilo lembra um pouco Edgar Allan Poe.

Seu livro mais famoso Cuentos de amor de locura y de muerte, no original, inclusive já foi citado como um dos dez livros indispensáveis da literatura argentina (ele não era argentino, mas de tanto tempo que passou entre os hermanos, acabou sendo considerado por muitos um deles).

Destaque para o conto A Galinha Degolada, uma narrativa de suspense que dá calafrios.

Diagnosticado com câncer, em 1937, Quiroga suicidou-se ao ingerir uma dose letal de cianureto.

10 Dicas para escrever contos

Você pode assistir a live, onde comentei cada dica do escritor, ou lê-las abaixo.

Deixemos o triste fato de seu fim. Além de contos incríveis, Quiroga deixou essas dicas preciosas.

Leia também nossa lista de livros obrigatórios para quem deseja ser escritor.

Vamos conferi-las:

Dica 1 – Referências

Creia em um mestre — Poe, Maupassant, Kipling, Tchekov — como em Deus mesmo;

Dica 2 – Seja exigente

Creia que sua arte é um cume inacessível. Não sonhe em domá-la. Quando puder fazê-lo, você o conseguirá sem mesmo sabê-lo;

Dica 3 – Originalidade

Resista o quanto puder à imitação, mas imite se o influxo for forte demais. Mais do que qualquer outra coisa, o desenvolvimento da personalidade é uma grande paciência;

Dica 4 – Coração e a arte

Tenha fé cega não em sua capacidade para o triunfo, senão no ardor com que o deseja. Ame a sua arte como à sua namorada, dando-lhe todo seu coração;

Dica 5 – Conheça sua história

Não comece a escrever sem saber desde a primeira palavra aonde vai. Em um conto bem realizado, as três primeiras linhas têm quase a importância das três últimas;

Dica 6 – Seja preciso

Se quer expressar com exatidão esta circunstância: “Do rio soprava o vento frio”, não há em língua humana mais palavras do que as apontadas para expressá-la. Uma vez dono de suas palavras, não se preocupe em observar se são consoantes ou assonantes entre si;

Dica 7 – Adjetivos

Não adjetive sem necessidade. Inúteis serão quantas notas de cor adicionar a um substantivo débil. Se achar aquele que é necessário, apenas ele terá uma cor incomparável. Mas tem de achá-lo;

Dica 8 – Seja conciso

Tome seus personagens pela mão e conduza-os firmemente até o final, sem ver outra coisa além do caminho que lhes traçou. Não se distraia vendo o que eles podem ou não lhes importa ver. Não abuse do leitor. Um conto é um romance depurado de cascalho. Tenha isto como uma verdade absoluta, mesmo que não seja;

Dica 9 – O caminho das emoções

Não escreva sob o império da emoção. Deixe-a morrer, e evoque-a depois. Se for capaz então de revivê-la tal qual foi, terá chegado à metade do caminho na arte;

Dica 10 – A vida do conto

Não pense em seus amigos ao escrever, nem na impressão que causará sua história. Conte como se seu relato não tivesse mais importância do que para o pequeno ambiente de seus personagens, dos quais você poderia ter sido um. De nenhum outro modo se obtém a vida do conto.

Conheça este curso:

   

5 comentários

SAMARA MAYER PAZ · 5 de setembro de 2019 às 10:34 pm

Uau, vou adorar comentar essas dicas com minha professora de português. Quiroga passou a ser um grande profissional na minha vida depois de conhecer sua história.

Senhorinha Gervásio Lourenço Bragança · 20 de outubro de 2019 às 11:17 pm

Posso fazer uma observação? Horacio Quiroga era uruguaio.
Passou parte de sua vida na região de Misinones divisa com Argentina.

    Vilto Reis · 21 de outubro de 2019 às 12:42 pm

    É verdade. Não deixei claro que ele era uruguaio. Só disse que é muito apreciado na Argentina. Vou corrigir.
    Obrigado.

Francinaldo Lacerda · 28 de outubro de 2019 às 6:50 pm

Amei essas dicas

    Vilto Reis · 29 de outubro de 2019 às 1:59 pm

    Fico feliz 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.