10 Segredos sobre a escrita de contos que todo escritor iniciante deve saber

Publicado por vilto em

Escrever um conto que realmente encante o leitor dá muito trabalho.

Não se engane. O fato de o conto ser “uma história curta” não significa que é fácil. Na realidade, pode dar tanto trabalho como desenvolver um romance.

Mas calma. Não quer dizer que você não consegue.

A grande verdade que muitos escritores escondem é que é possível aprender muito estudando técnica literária, fazendo bons cursos para escritores e lendo dicas de grandes autores.

O conto é uma escola para todos os escritores.

E você também pode escrever bons contos. É só observar os segredos citados abaixo e começar a trabalhar.

Leia este artigo até o final se você deseja se desenvolver mais rápido, escrever contos com mais facilidade e encantar seus leitores (ou assista o vídeo abaixo).

1) Leia muito

Você já suspeitava deste passo. É preciso ler bons contos, muitos contos, antes de você sentar para começar a escrever os seus.

Uma vez, eu brinquei com a seguinte ideia: para você escrever uma boa página, você tem que ler pelo menos mil. Óbvio que era um exagero da minha parte.

Mas é importante ler muitos bons contos.

Aí vai uma lista para você começar:  Plano de estudos: 21 Leituras para APRENDER A ESCREVER CONTOS

São leituras obrigatória para quem quer ser contista. Ou para quem quer se iniciar na arte do conto.

 

2) Faça Brainstorm

Você também pode fazer um brainstorm das suas ideias.

Brainstorm é um termo americano que se popularizou no Brasil (há até uma versão mineira dessa expressão: “toró de palpite”). Basicamente, é a ideia de jogar tudo no papel que vem na mente.

Você pode começar com perguntas do tipo:

  • O que veio à minha cabeça agora?
  • Um personagem com tais características?
  • Um cenário diferente?

Se vier um diálogo, joga no papel. É importante anotar tudo e só depois filtrar as ideias.

Você pode até brincar com post-its. Anote uma ideia em cada post-it e vai colando. Por que não estabelecer uma meta louca? Do tipo: só paro quando tiver 50 ideias aqui. Sem filtro nesta primeira etapa.

Depois, chega o momento da pescaria dessas ideias. Você começa a montar o quebra-cabeça da história para escrever um conto.

 

3) Personagens

Comece a pensar nos personagens da sua história. Converse com eles. Imagine como eles agiriam onde você for. Entenda como ele vê os familiares e como os familiares o veem.

E, claro, se pergunte: que tipo de personagem quero ter?

Importante: evite histórias maniqueístas. Os personagens podem ser mais do que somente bons ou ruins. A nossa ideia de uma narrativa contemporânea é de personagens complexos e com profundidade. Por exemplo, para você ter um bom personagem é fundamental que ele queira alguma coisa dentro da história.

Estabeleça desde cedo o que este personagem quer.


 

4) Criação de conflito

Crie um conflito desde o começo. É sempre válido relembrar o conselho de Chuck Palahniuk, escritor de Clube da Luta. Ele aconselha você a colocar o mais rápido possível dois personagens em cena. Desta forma, criando uma tensão e um conflito a partir do diálogo.

Aqui podemos também pensar em uma pergunta fundamental.

Que tipo de problema o seu personagem tem e que precisa se resolver nesta história? Se você for parar e pensar, uma história é sempre isso. Um problema a ser resolvido. E que pode ou não se resolver, devendo se complicar ao longo da história. Ou ao escrever um conto.

E no final, pode ou não ter uma resolução.

Não há desculpa para uma história não ter conflito. Se você tiver dificuldades, dê uma olhada neste infográfico sobre conflitos possíveis para personagens.

 

5) Tema original

Pense em um tema único e original para a sua história.

Existem muitos temas batidos, mas todos os dias surgem novos temas.

Alguém pode até dizer que os temas humanos estão esgotados. Mas a verdade é que existem muitas coisas novas surgindo.

Por exemplo, os conflitos causados pela depressão, ansiedade e outras patologias da nossa época. Outras ideias como temas polêmicos, ou até mesmo as minorias que ganharam voz no século XXI.

Tem muita coisa para você usar como tema das suas histórias. No entanto, é preciso sair do lugar comum. E estas ideias podem surgir lá no Brainstorm. Ou até mesmo enquanto você lê outras referências, como outros contos.

 

6) Planeje sua história

Se você é do tipo que enfrenta bloqueios criativos, é importante estabelecer uma linha para a história. Muita gente é contra este tipo de coisa. Mas estas pessoas não estão ali quando você está escrevendo.

Como disse o Bukowski no poema Como ser escritor:

“e lembre dos velhos cães
que brigavam tão bem:
Hemingway, Céline, Dostoiévski, Hamsun.

se você pensa que eles ficaram loucos
em quartos apertados
assim como este em que agora você está

sem mulheres
sem comida
sem esperança

então você não está pronto.”

Portanto, esteja pronto. Ignore os outros e escreva. Se traçar uma linha de narrativa vai te ajudar, use. O importante é se dedicar e escrever um conto.

Mas o que seria esta linha?

Estabelecer determinados pontos por onde a história vai passar.

Por exemplo, em determinado ponto, você tem uma explanação do que é a vida comum do personagem. Depois um incidente Inicial que vai jogar ele numa situação em que ele vai ter que enfrentar um desafio. Em seguida, uma segunda situação que vai conduzir até a próxima cena. Ou o clímax da história. E assim por diante.

Ao ter esta sequência de cenas, você pode construir sua história com mais calma de trabalhar cena a cena.

Isso pode ou não funcionar. Vai muito do processo criativo de cada um.

Leia também: Da ideia à estrutura: como você pode planejar um livro e escrever sem medo do bloqueio criativo

 

7) – Prepare um Clímax para a sua história

Um bom conto tem um clímax. Ou pelo menos um anticlímax.

Mas por que ter um clímax é tão importante?

Porque a história tem que prender o leitor. O conto é escrito para isso.

Planeje a história de forma que alguma coisa se revele. Alguma coisa que está no subsolo da história pode aparecer e surpreender o leitor. Às vezes não é uma grande descoberta. Pode ser uma epifania. Ou algo que o personagem descobre sobre si mesmo.

Estas situações também podem ser um clímax.

 

8) Pense em um final com surpresa

Pode ser uma surpresa. Ou quem sabe uma frase de efeito.

Dica: nunca coloque um momento He-Man em sua história. Isso mesmo, falo do desenho He-Man. Aquele em que o personagem erguia uma espada e gritava “pelos poderes de Grayskull, eu tenho a força!”. E o que chamo de “o momento He-Man” era o fim do episódio, quando algum dos personagens do bem entrava para explicar o foi aprendido no episódio.

Jamais faça isso.

Uma boa história de ficção não explica seu final. Quanto menos explicações, melhor. Ao escrever um conto, tenha isso em mente.

Para você encontrar grandes finais, não se atenha à primeira ideia que vier à cabeça. Pelo contrário, crie vários finais possíveis. Ou até mesmo, leia e releia seus contos preferidos. Depois simule finais semelhantes para sua história.

Por meio de exercícios como estes, você vai aprendendo e se desenvolvendo.

 

9) Escreva! Ou nunca vai escrever um conto!

Escreva! Escreva! Escreva!

Muitos escritores iniciantes procuram dicas, leem livros de técnica literária, assistem vídeos instrutivos e até fazem cursos. Mas não fazem o mais importante. Dedicar um tempo diário a sentar e escrever.

E se você tem dificuldade em desenvolver esta rotina, aí vai uma dica matadora. Faça nosso curso gratuito HÁBITO DE ESCREVER.

Você precisa escrever. Sair do lugar. Colocar o texto para e deixá-lo respirar.

É importante insistir consigo mesmo. Não fica só esperando a inspiração. Sentar e tentar escrever. Talvez colocando uma cota diária de escrita. E, principalmente, achar alguma coisa que te motive a escrever todos os dias. Como ter um objetivo bem claro de onde você quer chegar com aquele projeto.

 

10) Revise várias vezes

Terminou de escrever? Revise. Muitas vezes.

Deixe o texto descansar alguns dias. Na sequência, imprima e rabisque tudo que viver à cabeça para mudar. Leia em voz alta também para sentir o ritmo do texto.

Lembre-se: você é o seu primeiro editor.

Aproveite também para reescrever seu texto após esta versão rabiscada. Só assim, você vai melhorando sua escrita e percebendo seus pontos fortes e fracos.

É um caminho muito duro, mas necessário se você deseja escrever um grande conto.

***

Pronto para escrever um conto?

E se você realmente quer escrever contos, que tal receber uma sequência de e-mails sobre o assunto?



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *