fbpx

Por que você nunca consegue escrever um livro até o fim (e como resolver isso)

Publicado por Vilto Reis em

Escrever um livro até o fim

Escrever um livro até o fim é um feito incrível. Muita gente tenta, mas poucos conseguem. Acabam desistindo no meio do caminho.

Por mais que pareça difícil de acreditar, uma “simples” mudança de mindset aumentariam as chances delas atingirem seus objetivos.

As ideias que vamos discutir aqui estão no livro Mindset — A nova psicologia do sucesso, de Carol S. Dweck. Uma ph.D, professora de Stanford, que passou anos pesquisando sobre o porquê de algumas pessoas atingirem seus objetivos, e outras não, surgindo assim sua teoria do mindset.

Pretendo mostrar aqui parte do que ela descobriu.

Este artigo é para quem começou e não conseguiu escrever um livro até o fim. E, ao não conseguir, acabou dizendo coisas como:

  • Tenho muitas ideias;
  • Perco a vontade;
  • Tive um bloqueio criativo;
  • Não tive mais tempo;
  • Não sei mais o que fazer com essa história.

Leia com atenção este texto. Você vai aprender como mudar seu mindset para escrever um livro até o fim.


O que é mindset?

Photo by Keegan Houser

Mindset pode ser definido como a atitude mental com que encaramos a vida.

A partir de suas pesquisas, Dweck percebeu que há um certo padrão mental nas pessoas que conquistam objetivos. Este padrão definiria, por exemplo, por que somos otimistas ou pessimistas, entre outras coisas. Portanto, isso acaba por influenciar nossas chances em ser bem-sucedidos ou não.

Com o passar do tempo, ela expandiu sua pesquisa, testando a teoria do mindset com crianças de 4 anos.

Em seus testes, a pesquisadora oferecia um quebra-cabeça fácil para uma criança. Em seguida, apresentava um bem mais difícil.

Algumas crianças esfregavam as mãos. Diziam frases como “eu sabia que ia aprender com esse exercício” ou “uhm, isso ficou mais interessante.” Quando não conseguiam vencer o desafio, pediam para voltar outro dia para terminar. Eram persistentes. Enquanto outras crianças rejeitavam o mais difícil, sem nem tentar. Não conseguiam lidar com o fracasso. Uma delas chegou a mentir, dizendo que tinha um quebra-cabeça igual àquele em casa. Portanto, não queria montar.

A conclusão de Carol S. Dweck é que existem duas formas de pensar: o mindset fixo e o mindset de crescimento.

Vamos entender como cada um deles funciona.


Mindset fixo X Mindset de crescimento

Photo by Suzanne D. Williams

As pessoas que têm o mindset fixo tendem a “acreditar que suas qualidades são imutáveis — o mindset fixo — cria a necessidade constante de provar a si mesmo seu valor.” (pg. 14).

Ou seja, quem possui o mindset fixo geralmente crê que já nasceu com o talento. Se algo não dá certo, atribui a culpa a alguém ou arruma uma desculpa. E por precisar provar a si mesmo que é talentoso, vive procurando a aprovação de outras pessoas. Uma crítica negativa é a pior coisa que pode ouvir. Ou o deixa abatido, ou a pessoa procura uma blindagem, dizendo que o outro não entendeu sua proposta.

Já o mindset de crescimento “[…] se baseia na crença de que você é capaz de cultivar suas qualidades básicas por meio de seus próprios esforços.” (pg. 15).

Com este tipo de atitude mental, o indivíduo pode temer os desafios, mas enxerga neles uma oportunidade de crescimento. Ao ver algo que não entende, procura aprender, pois acredita que com seu esforço pode chegar a qualquer lugar. Isso não quer dizer que sempre terá sucesso. Somente que o fracasso não pode abatê-lo.  

Agora a boa notícia: é possível alterar seu mindset assim que você entende a teoria.


Como se comporta cada mindset nos artistas

Photo by Matthew LeJune

Alguém com o mindset fixo pode achar que não “nasceu para isso” ou que “é melhor deixar para quem tem o talento.” E essa falta de confiança em si mesmo, aliada à necessidade de aprovação dos outros, fará com que desista de escrever um um livro.

Por sua vez, uma pessoa com o mindset de crescimento encarará cada desafio com a alegria de quem quer aprender. Nunca se dará por satisfeito com o que já sabe. E acredita que se se esforçar, ler muito, fazer cursos para escritores e escrever todos os dias, poderá ser um grande escritor.

Não por ter nascido com o talento, mas por que pode aprender.

Nos momentos de baixa emocional, vai se dedicar ainda mais porque acredita no esforço.

Nestes anos que trabalho na área literária, percebi que esforço, persistência ou resiliência (chame como quiser) é mais importante que talento.


Mas isso tudo não é autoajuda?

Photo by Priscilla Du Preez

Carol S. Dweck é clara sobre isso (pg.19). Segundo ela, o que os livros de autoajuda apresentam são listas de conselhos sem qualquer relação. Coisas como: “Assuma mais riscos” ou “Acredite em si mesmo!”

Talvez ao ler livros assim, você até se sinta inspirado por alguns dias, mas não fica claro neles como as pessoas bem-sucedidas conseguem isso.

Com a teoria do mindset é diferente.

Quanto mais você aprende sobre a questão do mindset fixo e de crescimento, mais você compreende que pode mudar sua atitude mental.

Nas palavras da pesquisadora, você entende “[…] como a crença de que suas qualidades são imutáveis gera diferentes pensamentos e atos, e como a crença de que suas qualidades são suscetíveis de serem cultivadas […] [acaba], guiando-o por um caminho completamente diferente.”

Um caminho que pode levá-lo a escrever um livro.


De que forma a teoria do mindset pode ajudar você a escrever um livro até o fim

Photo by Artem Bali

Fica evidente que é preciso adotar o mindset de crescimento para escrever um livro até o fim.

Por exemplo, ao tomarmos as falas comuns de quem desiste de escrever um livro, podemos ver o padrão do mindset fixo. São as frases de sempre. “Tenho muitas ideias.” “Perco a vontade.” “Tive um bloqueio criativo.” “Não tive mais tempo.” “Não sei mais o que fazer com essa história.”

As frases mostram uma busca por justificar o fracasso.

Ou seja, torna-se necessário enxergar um livro como um desafio que você pode superar, se você se esforçar muito. Embora algumas das frases acima também possam ser solucionadas com um simples planejamento de livro.

Não importa se você nasceu com talento eou não. Em literatura, ninguém nasceu. Ou você viu algum escritor escrever uma grande obra com 4 anos de idade (como na música)?

É claro que há pessoas com mais aptidão para aprender certas coisas, mas, acredite, não há nada que você não possa aprender. Nem um desafio tão grande como escrever um livro até o fim.

Desde que adote o mindset de crescimento.

***

Se você quer saber mais sobre o livro Mindset — A nova psicologia do sucesso, de Carol S. Dweck, adquira por este link na Amazon e estará me ajudando com uma pequena comissão.

Este texto traz um bom resumo das ideias do livro. Mas a leitura de Mindset, de Dweck, torna tudo mais profundo.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.