fbpx

Vídeos

4 Coisas que você NÃO DEVE fazer no Primeiro Capítulo do seu livro

Vilto Reis
Escrito por Vilto Reis
Junte-se a mais de 20 mil assinantes

Entre para minha lista e receba conteúdos exclusivos sobre escrita criativa

Neste vídeo, Vilto Reis fala sobre erros que você deve evitar no Primeiro Capítulo do seu livro, caso você deseje realmente escrever histórias que encantem o público.

LINKS ÚTEIS:
Curso COMO ESCREVER CONTOS
Inícios de livros – Dicas para você escrever começos espetaculares
Inspiração ou técnica – o que conta mais na hora de começar a escrever?

 

Quer receber meus vídeos por e-mail?

 


Assine também nosso canal no Youtube e siga acompanhando os conteúdos!

Também não deixe de compartilhar sua opinião! Comente abaixo!

O que você encontra neste vídeo sobre 4 Coisas que você NÃO DEVE fazer no primeiro capítulo do seu livro

1) Introduções e explicações que nunca mais acabam

Neste sentido, levo para a vida uma coisa que aprendi com o escritor Marcelino Freire: “quando a história começa, as portas do inferno têm que estar abertas faz tempo.”

Corte todas as introduções. Comece com ação. Não fique explicando. Vá direto ao ponto e conte a história. Deixe que o leitor interprete e leia as entrelinhas.

2) Era uma vez…

Ok, se você estiver escrevendo uma história infantil. Mas lembre que este é o começo mais clichê de toda a ficção.

Então, a não ser que você esteja provocando uma subversão, ou disposto a escrever um grande clichê, fuja disso.

Seja criativo.

3) Se começar com ação, mantenha a pegada

Talvez você seja muito bom em começar com uma frase de ação. Mas de nada adianta começar com um soco no estômago do leitor, e depois não conseguir fazer mais nenhum arranhão.

Pense em como construir um começo que provoque o leitor. Mas nunca mais do que seu fim.

4) Deixe que o pessoal da climatologia fazer o serviço deles

Ninguém mais tem interesse em ler livros que começam com descrições climáticas. Você pode fazer melhor do que escrever: “era uma tarde quente de verão. As nuvens estavam no céu. Eu olhava aquilo tudo outra vez.”

Só inclua descrições climáticas se isso agregar algo à história. Um exemplo de bom uso dessas descrições são as narrativas de tensão transfigurada. Tratam-se de situações em que as mudanças no clima refletem o emocional do personagem.

Fora isso, e ainda mais na primeira frase, evite.

E depois de tudo isso, você você terá certeza da qualidade da sua frase inicial?

E o que você acha?

Conte nos comentários o que achou deste conteúdo :)

O seu endereço de e-mail não será publicado.