fbpx

Artigos

O que faz um grande vilão? Checklist para escrever um bom antagonista

Vilto Reis
Escrito por Vilto Reis em 19 de abril de 2022
O que faz um grande vilão? Checklist para escrever um bom antagonista
Junte-se a mais de 20 mil assinantes

Entre para minha lista e receba conteúdos exclusivos sobre escrita criativa

Nada torna seu herói mais heróico do que um oponente digno, um vilão.

Portanto, não o faça de qualquer jeito. Gaste tanto tempo criando-o quanto com seu personagem principal, se quiser que sua história funcione.

(Embora eu use pronomes masculinos, isso se aplica igualmente se seu personagem principal ou vilão forem de qualquer outra orientação sexual).

Muitos romancistas dão muita atenção a todos os outros elementos da história, depois criam o que consideram um vilão malvado e se perguntam por que o resultado parece fracassar.

Muitas vezes é porque o cara mau é apenas isso: mau. Parece ser um ator jovem e inexperiente e pode muito bem estar estrelando um melodrama, completo com cartola preta, capa e bigode para que nós leitores possamos vaiar e assobiar todas as suas entradas.

Todos os outros personagens são reais, matizados e críveis, mas o ingrediente secreto faltante estraga toda a experiência do leitor.

Motivação: o ingrediente secreto para criar um grande vilão

Crânio sobre fundo escuro. Decoração que agrada um vilão?
Foto por Mathew MacQuarrie

Não deixe a palavra te assustar. A motivação não precisa ser um conceito teatral nebuloso lançado por atores metódicos tentando entrar no personagem. Significa simplesmente que seu vilão precisa de uma razão para ser a pessoa que ele se tornou.

Se ele não está funcionando, é porque você fez dele o vilão só porque ele é uma pessoa má. Ele faz coisas más porque é mau.

Isso é muito fácil. Pense diferente.

Experimente algo revolucionário.

Se você simplesmente não consegue entender as pessoas verdadeiramente vilãs, tente isto: coloque-se no lugar delas.

“Espere!” você diz com certo moralismo. “Prefiro me ver como o herói, fazendo a coisa certa porque é a coisa certa, enfrentando o desafio, salvando o dia.”

Não nos idealizamos todos assim?

Imagine que você está escrevendo e chegou ao ponto em que seu vilão precisa agir de alguma maneira maligna. No entanto, seu “personal trainer” de redação exortou você a ter certeza de que ele tem a motivação adequada.

O que isso significa? 

Ele não pode ser mau, fazer o mal, causar problemas só porque ele é o cara mau? O que está por trás disso? Você tem que saber antes de fazer o que quer que ele esteja prestes a fazer.

Tome o lugar dele

“Mas eu não sou um vilão!”, você diz. “Eu não sou Dr. Moriarty ou Drácula ou Darth Vader.”

Sim, você é. Você tem seus dias. Você aprendeu a se controlar, ou talvez seja uma pessoa de fé e tenha encontrado o controle fora de si mesmo. Mas você conhece sua verdadeira natureza, sua velha natureza.

Nós, romancistas, precisamos nos tornar nossos personagens, do jovem ao velho, do homem à mulher, do trabalhador braçal ao executivo, do analfabeto ao educado. Isso é parte da diversão.

Agora leve isso adiante. Quando um amigo leva o crédito por algo que você realizou, qual é o seu primeiro pensamento privado? Você supera isso, eu sei. Você provavelmente não diz nada e deixa passar pelo bem do relacionamento, e isso é ótimo. Mas detenha-se nessa reação visceral inicial por um momento.

Alguém que você conhece bem, ama e confia mente para você, e não há dúvida sobre isso. Você está ofendido, magoado — realmente arrasado. Na verdade, você está furioso. Você morde a língua e se contém porque é um adulto maduro.

Talvez quando você se acalmar, você enfrente racionalmente a mentira e chegue ao fundo dela. Mas, por enquanto, fixe essa primeira reação imediata. Onde estava seu coração e mente então?

Eu não estou dizendo para você se tornar mau, podre e desagradável quando todos nós deveríamos ter superado esse tipo de coisa agora. Mas estou lhe dizendo para explorar seu lado sombrio por tempo suficiente para saber o que faz um bom vilão funcionar.

O que faz um bom vilão?

Palhaço de olhar macabro. Ele tem maquiagem branca, linhas vermelhas no rosto e cabelo vermelho. Um típico vilão assustador.
Foto por Zorik D.

Vilões são pessoas reais a quem coisas terríveis aconteceram.

Talvez na infância, talvez na adolescência, talvez mais tarde. Em algum momento, em vez de aprender e crescer, seu processo de amadurecimento foi atrofiado e estagnado.

Raízes de amargura e raiva brotaram neles. Na superfície, eles podem ter muitas, se não a maioria, das mesmas qualidades atraentes de seu herói. Mas logo abaixo da superfície apodrecem as qualidades que você pode acessar em si mesmo se se permitir.

Embora isso possa explicar os motivos das ações do seu vilão, não os desculpa ou perdoa. Ele ainda é mau, e ele ainda deve ser levado à justiça. Mas dar-lhe motivação fará dele mais do que um recorte de papelão.

Então conjure uma história de fundo para o vilão. Torne-o real, crível e incrível — até atraente de várias maneiras.

E enquanto você está escrevendo sua história, veja quantas intens você pode marcar nesta checklist de características que pertencem ao vilão.

Quanto mais isso se aplicar, mais bem-sucedido seu romance provavelmente será. Porque quanto mais digno seu oponente, mais heroico seu herói parecerá.

Checklist das características do vilão:

  • Ele está convencido de que ele é o mocinho;
  • Ele tem muitas qualidades agradáveis;
  • Ele é um oponente digno o suficiente para fazer seu herói parecer bom;
  • Você (e seu leitor) gosta quando ele está no palco;
  • Ele é inteligente e talentoso o suficiente para que as pessoas o respeitem relutantemente;
  • Ele não pode ser um tolo ou um trapalhão;
  • Ele tem muitas das mesmas características do herói, mas elas são mal direcionadas;
  • Ele deve ocasionalmente ser gentil, e não apenas para se mostrar;
  • Ele pode ser impiedoso, mesmo para os inocentes;
  • Ele é persuasivo;
  • Ele vai parar por nada para conseguir o que quer;
  • Ele está orgulhoso;
  • Ele é enganador;
  • Ele está com ciúmes, especialmente do herói;
  • Ele é vingativo;

***

E você, o que pensa sobre a construção de vilões? O que é necessário para construir um ótimo antagonista? Qual o seu vilão favorito? 

Deixe sua resposta nos comentários logo abaixo!

***

Texto traduzido e adaptado do site de Jerry Jenkins.

E o que você acha?

Conte nos comentários o que achou deste conteúdo :)

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 Replies to “O que faz um grande vilão? Checklist para escrever um bom antagonista”

Janes Rocha

Na minha opinião, um bom vilão é aquele que gera sentimentos de raiva e desprezo, mas você chega a entender as razões dele, como Humbert, de Lolita (Nabokov)

Deolie_m

Peço o mesmo!

Vilto Reis

Bacana!

Susana

Gostei muito deste conteúdo e fez-me muito sentido. Qualquer personagem precisa de ser mais complexo do que apenas “bom” ou “mau” para ser credível e criar verdadeiro impacto no leitor. Mas foi um lembrete importante, para não negligenciarmos a construção dos nossos vilões! Um bom (aqui no sentido de bem elaborado) vilão pode ser, de facto, até mais impressionante do que um bom herói.

Vilto Reis

Sem dúvidas, há muito mais nuances entre bom e mau que podem ser exploradas. Obrigado pelo seu comentário, Susana.