fbpx

Como escrever um livro: 10 passos para ser bem-sucedido (você pode ignorar o 7)

Publicado por Vilto Reis em

Como escrever um livro

Como escrever um livro?

O que preciso fazer para vencer a página branca e contar a minha história?

Ou até mesmo: estou escrevendo um livro, mas como vou saber se ele está pronto, se já o acabei?

Se você já se fez algumas dessas perguntas, ou muitas outras parecidas, este artigo é para você.

Afinal de contas, escrever um livro do início ao fim não é tarefa fácil, mas com esforço e dedicação você pode conseguir.

Aliás, se você seguir os passos propostos neste artigo, poderá atingir seu objetivo, realizar seu sonho e conquistar seu objetivo de ver sua obra publicada.

Não é uma fórmula mágica. Apenas um mapa que você pode usar.

Continue lendo este artigo para seguir este passo a passo e aprender como escrever um livro.


1) Ideia inicial — O começo do caminho para escrever um livro

De onde vêm as ideias? Aprenda como escrever um livro!
Foto por Wenni Zhou

Você já se fez esta pergunta: de onde vêm as ideias?

Quem sabe você estava andando na rua, lavando louça ou tomando banho e de repente: PLIM! Veio a ideia na sua cabeça e você não sabe como e nem o porquê. Só quis sentar e escrever, certo?

Veio a ideia na sua cabeça e você não sabe como e nem o porquê.

Só quer sentar e escrever, certo?

Bom, as ideias se originam da fusão de nossas memórias, referências (literárias, cinematográficas etc) e de nossas observações do que acontece ao nosso redor.

Enfim, a grande verdade é que não importa tanto de onde vem a ideia.

O importante é que você a coloque em prática, anote, rascunhe, colha outras referências e comece a escrever.

Como ouvi no podcast da Revista Dragão Brasil desta semana, até o pior escritor publicado é melhor que o escritor genial que só critica e não publica suas obras.


2) Planejar a história — Você é um escritor arquiteto ou jardineiro?

Para não perder a ideia, você deve anotar toda ideia que vier. Depois, procure julgar a validade dessas ideias e passe a escrever aquela que considerar a mais forte.

Há escritores que são jardineiros e outros que são arquitetos, como define George R.R. Martin.

“Eu penso que existem dois tipos de escritores, os arquitetos e os jardineiros. Os arquitetos planejam tudo antes do tempo, como um arquiteto constrói uma casa. Eles sabem quantos aposentos a casa terá, que tipo de telhado terá, onde os fios estarão passando, que tipo de encanamento terá… Eles têm a coisa toda projetada e desenhada antes mesmo de pregarem a primeira tábua. Já os jardineiros cavam um buraco, jogam uma semente e regam. Eles meio que sabem que tipo de semente é; eles sabem se plantaram uma semente de fantasia ou uma semente de mistério ou o que quer que seja. Mas conforme eles regam e a planta cresce, eles não sabem quantos ramos ela terá, eles descobrem isso conforme ela cresce. Eu sou muito mais um jardineiro do que um arquiteto.”

— George R.R. Martin

Nada impede que você tente um ou outro método.

As vantagens de ser um arquiteto ao escrever um livro

No entanto, penso que o escritor arquiteto tem a vantagem de não ser parado pelo bloqueio criativo.

Quando você sabe para onde está indo, qual história está contando e escrevendo, nunca será parado pela pergunta: o que vou escrever agora?

Mas como estruturar sua história?

Para isso, recomendo que estude a estrutura de 3 atos, a estrutura clássica que fornecerá um bom caminho para você.


3) Desenvolver os personagens para escrever um livro

Este passo acontece em paralelo ao anterior.

Não existe uma boa história sem bons personagens. É por meio deles que o leitor se conecta à narrativa, ao identificar sua vida com os conflitos que lê.

Portanto, se existe algo que você deve investir é na criação de personagens para ter êxito em como escrever um livro.

Para conseguir isso, você precisa criar personagens tridimensionais, com profundidade e que sejam iluminados pela história.

Se você deseja se aprofundar neste assunto, recomendo os conteúdos abaixo:

E a seguir, você tem um passo muito importante.


4) Traçar objetivos e prazos

Trace planos para vencer o desafio de como escrever um livro!
Foto por NeONBRAND

Quem não sabe onde quer chegar, não chega a lugar nenhum. Por isso, é importante trabalhar com objetivos claros.

Você pode traçar objetivos como:

  • Escrever 1 hora todos os dias;
  • Produzir 1000 palavras por dia;
  • Ir até o fim da primeira versão do livro em 3 meses, escrevendo todos os dias.

Nem sempre, você baterá suas metas, mas verá que com o tempo vai criar o hábito de escrever diariamente.

De modo que exercerá seu ofício cada vez melhor.


5) Escrever a primeira versão — O passo principal em como escrever um livro

Chega um momento em que tudo que você deve fazer é: parar de planejar e começar a escrever.

Há quem diga que não está pronto para escrever um livro inteiro. Que não pesquisou o suficiente. Que precisa aprofundar os personagens ou planejar melhos.

Desculpas. Desculpas. Desculpas. (Raramente, não são).

Uma boa forma de descobrir quem são seus personagens é colocá-los em cena. Deixar que conversem e ajam.

O começo pode parecer difícil, mas se você não começar a escrever seu primeiro capítulo, o livro nunca surgirá.

E se posso dar um conselho para esta etapa é: desligue seu crítico interior.

A primeira versão é a hora de você despejar sua ideia no papel. Sem julgamentos. Sem ficar corrigindo o tempo todo. Sua única meta deve ser chegar até o fim da história.

Se surgirem ideias de alterações no que você já escreveu, anote em outro arquivo. Depois você as insere.

Só assim você poderá vencer uma das etapas mais importantes da escrita de um livro, partindo para as versões seguintes.


6) Reescrever as versões seguintes e revisar

Então com a primeira versão você não acabou o livro?

Talvez você tenha feito uns 30% ou 40% do trabalho até aqui. Pois é necessário reescrever muito para que algo fique bom.

Sempre que lia “reescrever” no início de minha jornada como escritor, me perguntava: mas será que é isso literalmente?

A resposta é: depende.

O que você fará — após concluir a primeira versão e ficar umas semanas sem olhar para ela — é pegar as anotações de ideias que teve e que poderiam melhorar a história e inclui-las. Ou ler a primeira versão e marcar passagens que não foram bem desenvolvidas, melhorar descrições, aprofundar personagens e criar novas cenas de coisas que não ficaram claras.

Acredite. se você alcançou uma maturidade como escritor. Provavelmente fará várias versões.

E se ainda não alcançou essa maturidade, recomendo que leia este artigo sobre como revisar um livro.


7) Enviar para leitores-betas (não confundir com peixe betta)

Foto por Timothy Dykes

Como você viu no título deste artigo, este passo pode ser ignorado, porém eu não recomendo.

Leitores-betas podem ajudar muito.

Mas o que são leitores-betas? — Você pode estar se perguntando.

Basicamente, são pessoas que você pode convidar para ler seu livro e opinar sobre o que acharam.

No entanto, aqui é importante que você diga a elas que não está procurando elogios. E sim identificar pontos fracos no seu livro que possam ser melhorados.

Sendo assim, não peça apenas para amigos. Participe de grupos de escritores no Facebook ou fóruns, por exemplo, e encontre outros escritores.

Claro, procure também se oferecer como leitor-beta.

Os comentários que você recebe podem te ajudar a melhorar bastante.

Mas e depois?


8) Contratar uma leitura crítica e uma revisão e para que serve isso

Por que você contrataria alguém para ler seu livro? Não foi para isso que enviou aos leitores-betas?

Sim, porém a pessoa que fizer a leitura crítica para você deve ser alguém com experiência no mercado editorial. Ele examinará cada parte do seu livro e gerará um relatório detalhado do que você precisa melhorar.

Este é um passo fundamental para deixar de ser um escritor amador e levar a sério seu trabalho.

Até por aumentar em muito as chances de seu livro encantar quem o lê.

Você também deve contratar uma revisão gramatical do seu livro. Porque mesmo se você ser exímio nessa questão, estará tão ligado à sua obra que vai passar por cima de vários erros.

Um revisor gramatical deixará sua obra afinada.

Antes de passar para o próximo passo, vou me colocar à sua disposição caso queira falar sobre leitura crítica. Faço este serviço. É só enviar uma mensagem de contato.

Posso apostar que você quer publicar o que escreveu, não? Então vamos lá.


9) Publicação ou autopublicação — O que escolher?

Você pode ver que é um verdadeiro caminho que o escritor precisa percorrer até a publicação, certo?

Após entender isso, outra pergunta deve estar pegando você. E onde publicar o que escrevo?

Hoje há várias formas de publicação além da tradicional, em que se envia o original para as editoras e fica esperando a resposta para ser publicado.

Você pode publicar suas obras em plataformas online, como o Wattpad, Sweek, Medium etc. Ou pode optar por participar de concursos literários e antologias.

Se quiser entender melhor, veja o vídeo fiz sobre o assunto.

Você também pode optar pelo caminho da autopublicação, no qual fica responsável por todas as etapas da produção de um livro: revisão, design de capa, diagramação, impressão (ou não, se for digital) e vendas.

Já aviso que não é nada fácil.

Além do conhecimento que este processo exige, você terá que arcar com os custos, ou tentar uma campanha de financiamento coletivo para publicar o livro.

Veja como funciona no vídeo Autopublicação de livros: custos, vantagens e dificuldades.

A última coisa que gostaria de dizer neste tópico é um alerta. Cuidado com as editoras que cobram de você para publicar seu livro. A maioria são “ciladas”. Elas até podem imprimir seu livro, mas não terão compromisso em vendê-lo, pois já tiveram seus lucros.

Isso não quer dizer que não hajam excessões. Editoras que fazem um bom trabalho, cobram pela publicação, ou dividem os custos e ajudam autores iniciantes.

Então é só partir para o próximo passo.


10) Divulgação, vendas e marketing de livros

Não adianta saber como escrever um livro se o livro não chegar aos leitores.
Foto por Pj Accetturo

O quê? O escritor precisa vender livros?

Bom, se você quer que seus livros sirvam de peso de porta da sua casa, não se preocupe com isso.

Agora, se quer ser bem-sucedido — entenda-se ser lido por várias pessoas —, você precisa ser conhecido e manter um diálogo constante com seus leitores.

Não adianta só colocar seu livro na Amazon e esperar que ele venda sozinho. Em cada canal, é preciso aprender como conquistar leitores.

É evidente que a internet é o grande meio para ser conhecido do público. Por isso, o escritor deve procurar dominar estratégias de marketing digital.

E assim, formar um público que o conhece. Dá trabalho. Leva tempo. Mas vale à pena e traz resultados.

***

Considerações finais sobre como escrever um livro

Escrever um livro não é algo fácil. Além do que tratamos aqui, você precisa:

Ao olhar assim, não tem quem não se assuste.

Mas diferente de outras artes, na literatura, você só precisa de um papel e uma caneta, ou um dispositivo que usa em outros momentos (como notebook ou celular) para começar a escrever.

É importante se aperfeiçoar para dominar tudo que foi exposto neste artigo?

Sim. Mas para isso basta fazer um curso de escritores completo que te ensine desde como desenvolver a ideia até a revisão final — por exemplo, o curso CAMINHO DO ESCRITOR (ver aqui!).

Se estiver sem grana, comece pelo minicurso gratuito 10 ERROS DE ESCRITORES INICIANTES 2.0 (ver aqui!).

Quanto antes você começar a se preparar, antes concluirá seu livro.

Então o que está esperando?

Conheça este curso:

   

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.